Isekai Wa Smartphone to Tomoni (NL)

Volume 3

Extra 1: Eu não sou um piromaníaco!

 

 

Era final de um certo ano. Um amigo estava se mudando e eu fui ajudar. Há muito tempo, o amigo havia se mudado do campo para Sendai. Descobrimos que os apartamentos que alugamos ficavam perto, então saíamos muito.

Era um dia de semana, então eu fui o único que foi ajudar. Naquela época ainda éramos estudantes, então não tínhamos dinheiro para pagar mudanças profissionais. Tudo o que podíamos fazer era lidar com isso sozinhos, mas, naturalmente, isso levou muito tempo. No final, escureceu antes de terminarmos, então decidi ir para casa por aquele dia.

Foi apenas uma caminhada de trinta minutos de volta ao meu apartamento. Assim que eu estava prestes a sair, meu amigo me fez uma pergunta.

“Você vai aceitar isso? Acabei de comprar um novo.” Ele estendeu uma lata vermelha, meio cheia de querosene.

Os invernos em Sendai podiam ficar bem frios, e o óleo para lamparinas de querosene ficou muito caro como resultado. Se um aluno não tomasse cuidado, poderia acabar com um enorme buraco na carteira.

Aceitei-o com gratidão, sem ter motivos para não o fazer, e comecei minha jornada para casa.

No entanto, enquanto eu caminhava pela estrada, comecei a me arrepender de tê-lo feito. Nossos apartamentos estavam localizados no topo de colinas separadas, o que significa que você sempre tinha que subir uma colina para chegar à outra. Subir a estrada íngreme com uma lata de mais de dez quilos era muito cansativo, o que me fez suar apesar de ser uma noite de inverno.

A estrada que eu estava percorrendo era uma rua secundária, então poucos carros a usavam, se é que havia algum. Me deparei com um único poste de luz, sozinho, quase pedindo desculpas. Eu estava exausto, então coloquei a lata embaixo da luz da rua e sentei em cima dela para descansar.

Um carro vinha em minha direção na direção oposta. Eu realmente não estava prestando atenção, apenas olhando para o céu da noite, mas parou na minha frente. Eu me perguntei o que estava acontecendo e olhei para ver que era um carro da polícia. Dois policiais saíram do carro e me chamaram.

“Boa noite.”

“Ah, sim, boa noite…”

“Você mora por aqui?”

“Oh sim. Eu moro.”

“Você está a caminho de casa?”

“Umm, sim, estou voltando da casa de um amigo.” Eu sorri tanto quanto possível enquanto eles me interrogavam. O que diabos está acontecendo, eu me perguntava, minha cabeça cheia de pontos de interrogação.

“Você é estudante?”

“Isso mesmo…”

“Bem, então, tem havido muitos incêndios por aqui recentemente. Temos motivos para acreditar que podem ter sido ataques incendiários. É por isso que estamos em patrulha.”

No momento em que percebi o que estava acontecendo, o policial voltou sua atenção para o item aos meus pés. Sim, a lata vermelha.

“Ah?!” Como isso aconteceu? O que no mundo me levou a ser confundido com um piromaníaco e submetido a interrogatório policial? Eu freneticamente tentei transmitir que era tudo um mal-entendido. Graças aos meus esforços (bem, provavelmente obrigado, eu realmente não sabia), eles me deixaram ir. Depois de olhar minha carteira de estudante e verificar meu nome completo e endereço, de qualquer maneira.

Moral da história: tenha muito cuidado ao andar na calada da noite segurando uma lata de querosene.

0 0 votes
Qualificação do Capítulo
Subscribe
Notify of
guest
This site uses User Verification plugin to reduce spam. See how your comment data is processed.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments