Mushoku Tensei: Isekai Ittara Honki Dasu (NW)

Volume 12

Capítulo 119: Entrando no Labirinto

 

 

Labirinto do Teletransporte

Se déssemos um simples vislumbre nela tomaríamos como uma simples caverna, não transmitia nenhuma sensação em especial, era apenas um buraco aberto na base de uma montanha.

Há muitos monstros aracnídeos por perto e muitos monstros presos nas teias deles, apenas isso. Não lhe passa nada olhando de uma distancia se olhar de mais de perto será diferente. De perto você pode quase intuitivamente sentir que é algo perigoso, que é realmente um labirinto. Algo indescritível.

No entanto, também senti algo estimulando minha curiosidade, me pergunto se todos os labirintos têm essa atmosfera.

“Bem, então Ludi. Nós vamos exatamente como combinamos tudo bem?”

“Entendido.”

Paul deu uma tapinha no meu ombro e assentiu. Entramos na formação que organizamos outro dia e adentramos no labirinto. É o meu primeiro labirinto, mas não estou realmente animado; deve ser apenas a pressão de tentar não cometer um erro.

“Marido, a fortuna da guerra estão com você.”

“Todos, por favor, tomem cuidado.”

Lilia, Vera e Shera estariam voltando para a cidade daqui a cavalo. Durante o tempo em que uma grande party conquista um labirinto, eles criam um acampamento de apoio na entrada do labirinto também. No entanto Lapan fica mais ou menos de meio a um dia de distância. Não há uma grande necessidade de organizar uma base fora da caverna.

“É hora agora.”

O interior da caverna é escuro, mas não ao ponto de não ver nada, em seu interior fica brilhando uma luz tênue. No entanto, essa escuridão poderia ser fatal, tenho certeza.

“Eu vou fazer alguma luz.”

“Sim.”

Logo depois de entrar, usei o pergaminho que recebi de Nanahoshi. Os espíritos da luz voaram dele e começaram a circular ao redor e acima de nós. Gisu fez o mesmo pergaminho que lhe dei.

Uma vez que seu papel é o de guia explorador, ele precisa de uma fonte de luz diferente de nós. Nós testamos os pergaminhos ontem, eles podem ser usados até mesmo por Paul e Gisu. Naturalmente, ele dura mais tempo com quem tem mais poder mágico, com isso é melhor se eu usá-lo. Mas parece que o poder mágico consumido é quase nada. Com isso, todos ficaram encantados por não ter que levar por ai uma tocha. Afinal, seria um obstáculo ter uma de suas mãos ocupadas com ela, além da luz dos espíritos serem mais brilhante do que de uma tocha, com pouco poder mágico elas duram muito.

Se isso se espalhar, tochas poderiam desaparecer do mercado.

“Paul, o seu filho trouxe consigo muitas coisas úteis.”

“Bem, sim, ele é o filho de que eu tenho tanto orgulho, afinal.”

Paul deu uma batida em seu peito cheio de si, e Talhand deixou escapar numa voz meio incrédula.

“Mas não parece que ele tenha um pai que possa sentir muito orgulhoso.”

“Não diga isso, ele já é um pouco complexado por isso.”

Com as palavras finais de Elinalise o ego de Paul desinflou um pouco fazendo seus ombros caírem.

“Atenção, vamos nos apressar e seguir em frente?”

Com as palavras de Gisu, voltamos a realidade e entramos na caverna.

***

 

 

Primeiro andar.

Começamos a caminhar pelo o que parecia ser um formigueiro; suas paredes e teto tinham fios brancos esticados ao redor e mais adentro há círculos mágicos de teletransporte emitindo um brilho branco-azulado. Ao chegarmos mais perto com os espíritos da luz percebemos que o circulo emitia uma luz fluorescente.

“Ocasionalmente, há círculos mágicos que não liberam luz, por isso é preciso ter cautela, não?”

“É isso mesmo, Ludi. Certifique-se de sempre pisar nas mesmas pegadas do Gisu.”

Gisu estava mais adiante cerca de dez passos à frente usando botas bem diferentes. Os lugares onde ele pisava deixavam uma marca profunda cruz no solo, no fundo de seus sapatos havia uma placa de ferro em forma de cruz anexado.

Claro, as botas não são um item mágico ou imbuído de magia. Gostaria de saber se eles são algo nascido da experiência dos aventureiros, elas ajudam a evitar deslizar o pé e claramente deixa para trás pegadas, um item bem útil.

Embora, neste primeiro andar é fácil detectar os círculos mágicos de teletransporte. Os monstros que aparecem no primeiro andar são Tarantula Deathlord. No entanto, no chão havia diferentes aranhas que as Tarantula provavelmente usavam como alimento era um espetáculo que provavelmente faria com que alguém que odiasse aranhas desmaiar.

Neste mar de aranhas havia espaços claramente delineados, eram espaços vazios em forma circulares ou quadradas. Uma armadilha de teletransporte. Se alguém não gostava de pisar em aranhas, era certo que eles seriam teletransportados para algum lugar.

Pensando nisso, continuamos andando pisando nas aranhas com um [Crunch] [Crunch] [Crunch].

Não era uma sensação boa, mas não tinha jeito.

Contudo, as inúmeras Tarantula Deathlords de Rank B não saíram do caminho. Ocasionalmente tinha uma ou duas delas escondidas, mas eram descobertas por Gisu e rapidamente exterminadas por Paul. Até agora não tive oportunidade de fazer nada.

“Isso… Bem, se é assim, será fácil.”

Paul tem duas espadas nas mãos e está avançando rapidamente.

Duas espadas?

Uma delas é a que ele quase sempre ficava em casa. Sua amada espada é certo. Eu não sei se tem algum tipo de poder especial, mas cortava as Tarantula Deathlords em dois em um só golpe. Ao invés de ser o fio da espada, tenho certeza que o feito é devido a técnica de Paul.

Na sua mão esquerda está uma espada com uma forma que eu nunca vi antes. Eu acho que poderia ser chamada de espada curta. Não era pequeno o suficiente para ser um punhal, mas não grande o bastante para uma espada longa.

Possui um guarda-mão que protege toda a mão, tem dois gumes sendo um pouco curva. A razão pela qual há um buraco no centro dela, pergunto-me se é para que não fique preso a coisas que corte? Porém ele não a usava muito.

Paul basicamente lutava usando apenas a espada em sua mão direita. Gostaria de saber o porquê da espada em sua mão esquerda. Seria algum chuunibyou desse mundo para chamar atenção?

“… Realmente, está bem fácil não é!”

Realmente não importa. Cada vez que terminava, Paul me dava um olhar e um sorriso irritante. Gostaria de saber se ele está pensando em me mostrar o quão legal ele é. Eu entendo que papai já é bem legal, mas gostaria que não abaixasse a guarda.

“- Paul, olhe adiante!”

Vejam, as reprimendas de Elina-obaachan começaram a surgir.

“Deixa-me dizer, nós já entramos no primeiro andar tantas vezes, que está ridículo.”

“Essa negligência vai te custar à vida que você tem.”

“Eu entendo isso, mesmo você tentando me lembrar?”

“Em primeiro lugar, você foi longe demais até agora, eu estou na frente, não é?”

“Se está no primeiro andar, não faz diferença?”

Elinalise e Paul iniciaram uma briga. Atrás de mim eu ouvia Talhand dizer, “Realmente, eles já começaram.” e soltou um suspiro.

“Deixando de lado, está é a primeira vez de Ludeus em um labirinto, um adulto deve corretamente mostrar-lhe como as coisas são feitas para dar exemplo!”

“É por isso que, eu estava tentando minimizar a tensão mostrando que não havia muito que temer agora?”

“Pare de mentir, agora eu senti você naquele clima despreocupado exatamente como foi quando Zenith entrou na party!”

“Não… bem, dizendo assim eu não posso negá-lo embora… O que é isso, você começou a repreender os outros.”

“É natural, Paul é quase um filho para mim, afinal de contas, eu vou te repreender também!”

Depois de dizer isso, Paul deu um risinho.

“O que você quer dizer filho. Você passou tanto tempo com Rudi que seus sentimentos por ele transferiram para mim? Pare com isso. Se você agir como minha mãe, então eu vou começar a ficar incomodado.”

“… Ara, Rudeus você não disse a ele?”

“O que?”

“Que Sylphy é minha neta, o fato de ele ter se casado com minha neta significa que você também é parente dela. Paul e Zenith devem ser como pais da nora, e agora vocês dois são como meus filhos também”.

Paul estacou petrificado e lentamente se virou para mim. Ao mesmo tempo a formação fez no mesmo que Paul fitando Elinalise e eu.

“E… Oi, o que isso significa Rudi… Sylphy é neta dela, parece que Elinalise está querendo fazer umas brincadeiras sem graça agora.”

Pensando nisso, eu não disse nada disso a ele?

“De alguma forma, parece que Rawls-san era filho de Elinalise-san.”

“Rawls é? Esse cara, nunca disse uma única palavra sobre isso.”

“Bem, parece que várias coisas aconteceram no passado e ele ficou calado sobre a existência de Elinalise-san.”

“Ah… eu entendo agora… Não é como se eu não compreendesse.”

“Em vez disso, vamos continuar em frente e cuidado para não abaixasse a guarda.”

“E… Sim.”

Paul disse isso como meio avoado, porém voltando a sua posição.

“Sério… Uma conexão entre minha família e Elinalise… Só pode ser piada…”

Deixando ele quieto em seu lugar resmungando, parece que foi um choque consideravelmente grande para ele.

***

 

 

O primeiro andar foi fácil, afirmando o que Paul disse ter passado aqui várias vezes. O corredor em forma de formigueiro tinha pequenos quartos, repletas de Tarântulas Deathlords; e limpar os enxames de monstros era o meu papel como o mago. No entanto, antes de entrar no primeiro quarto, Talhand me deu vários conselhos.

“Escute bem, não use fogo.”

“Por quê?”

“Se você usar o fogo, então o veneno encherá o quarto. É necessário ser cauteloso nos andares mais profundos.”

“… Não pode ser curado usando magia de desintoxicação?”

“- Não pode ser.”

Por “veneno”, ele provavelmente está se referindo a intoxicação por monóxido de carbono. Se você usar o fogo em um espaço fechado, o oxigênio será consumido e sua consciência acabará por desabar. Com você inconsciente os monstros poderão te atacar.

“Depois disso, ataques ao teto também é proibido. Você entende a razão, certo?”

“É porque a caverna pode desmoronar?”

É por isso que é melhor não usar muito magia de água, use gelo o máximo possível.

“Entendido.”

Se você fosse usar uma grande quantidade de água, o chão ficaria movediço e ceder. Bem, um pouco de água estaria bem, tenho certeza. Também há a opção por magia de terra. Mesmo dizendo isso, se usar magia da terra pode acabar por manipular o solo em que pisamos, e isso poderia ser um problema. Se tirarmos o nosso apoio no interior da caverna, é possível que ela possa desmoroná-la.

Então, tenho certeza que gelo será o mais seguro. Por essa razão, fui com uma magia de água avançada, [Blizzard Storm], magia que faz cair uma grande quantidade de estacas de gelo no alvo.

Para que Paul e os outros não fiquem presos nela, comecei a utilizar nas concentrações de tarântulas que estão mais afastadas da party.

“Oh, como esperado do discípulo de Roxy, a magia que você usa é a mesma…”

Ouvi o murmúrio de Talhand por trás. Parece que Roxy usa [Blizzard Storm], também, isso me deixa um pouco feliz na verdade.

“- Além disso, mesmo que um pouco… Eu posso entender por que você é o orgulho da Roxy.”

Enquanto escutava essas palavras de Talhand, as aranhas foram aniquiladas e continuamos avançando mais adiante.

Depois de limparmos esse ninho de tarântula, nós chegamos a um círculo mágico de teletransporte. Usando ele acabamos em um corredor que leva a um ninho de aranha. Nós repetimos isso cerca de cinco vezes desde que entramos no labirinto.

Naturalmente, no que diz respeito aos círculos mágicos, fizemos isso para investigar se há alguma diferença do livro para a realidade. Sabemos de onde todos os círculos mágicos do primeiro andar levam, foi mais por uma questão de confirmar a credibilidade do livro.

Teletransporte de duplo sentido, a forma, cor, suas características. Continuamos seguindo em frente ao verificando isso, e certificando-se que tudo combina.

Era aproximadamente uma hora de um círculo mágico para outro. Como repetimos cinco vezes, teríamos gasto já cerca de cinco horas no labirinto, eu calculo. No ultimo quarto, havia um círculo mágico que tinha um tom mais forte de azul e era um pouco maior do que os outros. Esse círculo mágico azul mais escuro era o círculo mágico que nos conduziria ao próximo andar. Este quarto final no primeiro andar estava cheio de ninhos de tarântulas.

Lá havia dois círculos mágicos que estavam alinhados. Eles são círculos mágicos com uma forma semelhante, se fosse alguém que não sabia nada, tenho certeza que eles não saberiam qual é o real.

Ao lado de um dos círculos mágicos, havia uma grande marca de círculo esculpida na pedra. Isso é algo que Gisu deixou na última vez como um marcador para o correto. Depois de confirmar que não havia erros no livro, entramos no círculo mágico para o segundo andar.

***

 

 

Segundo andar.

Daqui em diante, existem Vermes de Ferro [Iron Crawlers] gigantes rastejando ao redor. As pequenas aranhas no chão desapareceram, e havia uma diminuição considerável de teias de aranha. Era mais cômodo andar neste andar.

Os Vermes de Ferro mediam mais ou menos um metro de altura e cerca de dois metros de largura, dão uma impressão de rechonchudos. Quase me fazem lembrar os vermes em Nausicaa.

Assim como eles parecem, eles são bem sólidos e duros, e, ao contrário de sua aparência, eles são rápidos. Ao invés de uma lagarta lenta, eles têm velocidade parecida como de uma centopeia.

Parece que eles são aliados das tarântulas; enquanto os vermes de ferro atacam, as aranhas atirar suas teias pegajosas de trás. Se você ficar preso nos fios pegajosos, logo os vermes, com seu peso enorme simplesmente vão passando por cima.

Os vermes de ferro são difíceis até mesmo para Paul derrotá-los com um único hit, e o mesmo pode se falar de Elinalise, e é ai que eu entro. Eu posso disparar dois feitiços mágicos ao mesmo tempo, enquanto disparo [Blizzard Storm] nas aranhas infortúnio na retaguarda, finalizo os Vermes de Ferro que Paul e Elinalise atraem estrategicamente com uma Bala de Rocha. Parece que os vermes de ferro são mais difíceis de matar com um Canhão de Pedra normal, mas eu tenho minhas dúvidas, pois o meu facilmente penetra direto.

Mesmo que eu me esforçando para atacar em um lugar vital deles, os ataques que não acertam só faz com que eles se retorçam violentamente… Bem coisa de vermes mesmo.

“Diante desse show não tem muito para que eu participe.”

Eu estava bem focado no trabalho, que nem percebi direito Talhand murmurando isso, com cara de tedio parado atrás de mim sem saber se é necessário. Mesmo que eu acolha os seus conselhos e sugestões eu também tento ficar em uma posição adequada para prestar ajuda a Paul e Elinalise, e manter o cuidado de me afastar das zonas marcadas por Gisu.

Conclusão, Talhand não tem nada a fazer. E neste caso, isso é bom.

Se pudermos guardar as forças à medida que avançarmos, isso me dará certo alívio nos próximos andares.

As Tarântulas Infortúnio continuaram a jogar suas teias fios pegajosas em nós. Eu não achava que as tarântulas atacassem com teias, tenho certeza que esses bichos são bem diferentes dos de meu mundo. Ocasionalmente, eles fazem isso, mas já que eu tenho meu olho demoníaco ativo, eles quase nunca me atingem. Mesmo que acertasse, não tinham muito poder ofensivo. Eu apenas as queimo depois com magia de fogo, sem nenhuma preocupação.

“Ah, droga…”

“eh… É pegajoso não é.”

Mesmo que eu diga isso, parece que a linha de frente não pode evitar tudo, então Paul e Elinalise acabam cheios daqueles pegajosos fios.

“Aqui, não vá desperdiçar muito agora!”

Embora fosse legal eu queimar esses fios, porém Gisu tem algum tipo de líquido que pode derreter as teias fazendo um serviço melhor do que o meu. Parece ser algum tipo do produto químico original do continente de Begaritto, e é inofensivo à pele humana. Não fazia mal, mas Elinalise resmungava sobre como faz a pele áspera quando a derramava.

É quase como detergente. Talvez eu tente fazer em casa e lavar pratos com ele.

“Tudo bem, vamos fazer uma pausa por um momento aqui.”

Depois do combate Gisu da um sinal para descansarmos e sentarmos no local. Contudo, Talhand e Elinalise permanecem de vigia.

Depois que Paul se senta, ele imediatamente começa a desatar sua armadura e espada, limpando-a dos fluidos corporais dos monstros. Durante essa curta pausa, ele termina por inspecionar seu equipamento em um instante. Era uma maneira familiar de fazê-lo, e Paul acabou perguntando algo que um profissional perguntaria a mim.

“O que há de errado? Ludi, você deve terminar de averiguar rápido.”

“Ah sim.”

Depois de receber uma repreensão um pouco dura de Paul eu inspecionei meu equipamento também. Mesmo eu vá fazer, eu só estou apenas atirando magia de uma longa distância, há poucas coisas para verificar.

Mesmo assim.

Paul está quieto.

Durante o primeiro andar cada vez que tínhamos uma pausa como esta, ele de alguma forma vinha perguntando, “Como está?”, Mas como esperado, agora que chegamos ao segundo andar a sua seriedade é evidente.

Papai está tão legal.

“Cheh… ficou preso aqui.”

Enquanto Paul estava esfregando os fluidos da sua armadura com um pano ao mesmo tempo xingando.

“Que tal tentar usar os produtos químicos que Gisu usou agora?”

“Isso é para dissolver os fios, não é?”

Enquanto dizia isso, Paul colocou um pouco do produto sobre o pano e começou a esfregá-lo. Em pouco tempo chegou a um nível de brancura incrível, mesmo a armadura não sendo dessa cor.

“Ora… e não é que funcionou? Obrigado.”

“Não precisa.”

Como eu pensei, é detergente. Se eu comprar algum antes de voltar para casa, me pergunto se Sylphy ficaria encantada. Se possível, seria bom se pudéssemos fabricar por lá, no entanto. Depois que Paul removeu a sujeira, ele rapidamente colocou a armadura, embainhou a espada e caminhou até Elinalise.

Assim quando eu estava pensando em mudar de lugar com Talhand, Gisu me chamou.

“Senpai, deixa a vigia para ele.”

“Está bem?”

“Não se preocupe, o velhote não trabalhou afinal de contas, ao invés disso… É de lá em diante que preocupa… eu gostaria de ouvir um pouco de sua opinião senpai.”

“Não seria bom o pai participar?”

“Não precisa. Ao invés desse cara, senpai é mais inteligente ao final.”

Enquanto Gisu dizia essas coisas, ele tirou o livro e um mapa de sua bolsa, depois ele espalhou mais dois mapas. Um deles estava muito bem mapeado e claro, mas o outro foi feito na hora enquanto nós parávamos ao longo do caminho.

“Logo estaremos no terceiro andar, o lugar que perdemos a Roxy é… aqui, se tivermos sorte, Roxy ainda deve estar na vizinhança. Se é exatamente como o livro diz que é.”

“Sim.”

De acordo com o livro, parece que as armadilhas de teletransporte aleatórias são feitas para apenas teletransportar alguém para o mesmo andar que eles estão. Mesmo que sejam chamadas de aleatórias, na hora em que você pisa nelas não vai de repente encontrar-se na frente do chefão do ultimo andar ou qualquer coisa.

Roxy deve estar pelo terceiro andar.

E de acordo com o livro, se você pisar em uma armadilha de teletransporte, então você pode cair direto num ninho de monstros. Não sabemos se o círculo mágico em que ela pisou era aleatório ou então de mão única. Em todo caso, se ela ainda está viva, a probabilidade de que ela está no terceiro andar é alta.

Claro, há também a possibilidade de que ela felizmente conseguiu escapar para o segundo ou primeiro andar, também. No entanto, esses dois andares foram aqueles que ela já tinha explorado inúmeras vezes. Se for alguém com tanta habilidade como Roxy, então já teria sido capaz de fugir no segundo andar. E, não seria estranho para ela ter escapado para fora do labirinto até agora.

Não parece que ela tenha saído do terceiro andar, afinal.

“Você por acaso poderia ter alguma magia de busca para encontrá-la?”

“Eu não tenho nenhuma.”

Eu poderia tentar pensar na aplicação da magia para eu encontrar alguém, mas eu não tenho nada em mente agora.

“Está bem. Use sua intuição Senpai, por onde você acha que Roxy estaria?”

“Intuição você diz…”

“Neste labirinto, não podemos realmente ir andando se guiando pela parede direito e se vigiando cuidadosamente. Se vamos procurá-la, intuição é necessária”.

“Então, que tal em torno desta área.”

Por enquanto, eu tento apontar para um espaço em branco relevante no mapa.

“A área leste de onde ela foi teletransportada, hein? Então, vamos procurar por lá.”

Não foi muito convincente. Sinto que seria mais eficiente se apenas procurarmos ela como se faz sempre. No entanto, não temos ninguém neste lugar que possa fazer uma análise cuidadosamente, de qualquer forma, não temos escolha senão andar por aí procurando em todos os lugares que não checamos.

“Sinceramente, sem Roxy, não poderíamos ter atravessado o segundo andar seguros, tudo isso graças ao senpai. Esses vermes de ferro são problemáticos.”

“Tenho certeza.”

Os monstros aqui têm uma má afinidade com o atributo de Talhand. E em relação ao potencial de combate, com só o Paul à frente, ficaria enredado nos fios. E com isso toda a party ficaria paralisada e de guarda baixa com o enxame de inimigos.

Vera provavelmente ia à linha de frente também, e de nenhuma forma ela está ao nível de força que Elinalise contra os mobs. A fim de passar por aqui, tenho certeza que alguém que usa magia tipo gelo ou fogo era necessário. Portanto, se Roxy estivesse faltando, não seria estranho de o grupo estar estancado.

Talvez devesse ser o contrario estou espantado que eles ainda conseguissem voltar a Lapan depois que Roxy desapareceu.

“Nós pensamos que nós poderíamos conseguir um substituto. Mas afinal de contas, há poucos magos nesta área e nenhuma pessoa tem coragem para desafiar o labirinto do teletransporte.”

Parece que Gisu tentou fazer algo à sua maneira. Pensando nisso, na hora em que chegamos aqui ele estava tentando persuadir alguém na guilda, eu acho. Não parecia estar indo bem embora.

“Tenho certeza de que Gisu-san também teve vários problemas.”

“Shii… Está bem. eu não disse que está tudo bem só novato? Se você usar honoríficos para cima de mim, é bem capaz de eu ficar cheio de calafrios na espinha?”

“… como queira novato. Da próxima vez, vou apresentar-lhe uma macaca linda, e ai podem ficar coçando as costas um do outro.”

“Oh, isso parece bom, afinal não há um bairro de luz vermelha por aqui… Mas quem você está chamando de macaco?”

Há uma variedade de coisas que eu gostaria de conversar com Gisu também, mas vou deixa-las de lado por enquanto. Eu confirmei coisas sobre a rota daqui em diante com Gisu, o seu mapa era realmente fácil de ler.

No entanto, se você fosse compará-lo com o do primeiro andar que tinha sido completamente mapeado, havia um número considerável de buracos no segundo andar. Se acontecesse de Zenith ou Roxy pudessem estar dentro de um desses buracos… Seria melhor nem imaginar.

Isso me deixa um pouco desconfortável, mas primeiro devemos verificar o terceiro andar. Em vez de começar por um lugar próximo, o segundo andar, devemos procurar no local com maior probabilidade.

“Gisu, aproximadamente onde estamos agora?”

Elinalise apareceu perguntando e em resposta, Gisu apontou para um ponto no mapa.

“Agora, estamos por aqui.”

“Então, logo estaremos no final do segundo andar, certo?”

“Sim, mas as aranhas e os vermes de ferro ainda estarão por lá.”

“Para a composição de monstros mudarem sempre quando se avança por ai, é mesmo um labirinto problemático este”

Elinalise repentinamente virou os cabelos. Mesmo seus cabelos enrolados tão orgulhosos agora estão facilmente desalinhados e sujos.

“A propósito, Gisu, por que você chama o Ludeus de Senpai?”

“Ihih… Foi na prisão da raça Dorudia, que nos conhecemos…”

“A prisão de Dorúdia, você diz, aquela da que Ghyslaine vivia?” “O que aconteceu com vocês?”

“Depois que nós retornarmos, eu o contarei em detalhes.”

Enquanto sorria e ria, Gisu interrompeu a conversa. A prisão da raça dos Dorúria, que nostálgico. A mim sempre me passa aquela sensação de liberdade, é uma pena que não posso sair assim no meu cotidiano.

Oras!! Mas na cama não posso desfrutar dessa liberdade sempre?

Parece que eu estou bem relaxado para ter esses pensamentos no meio de uma missão importante.

***

 

 

E então, chegamos ao terceiro andar. Em termos de tempo demoramos cerca de 10 horas, eu acho, foi extremamente rápido.

“Eu pensei que levaria alguns dias para chegar aqui.”

“Para chegar a lugares sem o mapa poderia ser este o caso.”

O meu murmúrio alto que soltei foi respondido por Paul. Eu acho que é natural que avançar as cegas e se utilizando de um mapa, leva seus tempos diferentes.

Já não havia pequenas aranhas no chão por aqui ocasionalmente, há algumas teias pegajosas na parede, mas a presença de seres vivos é bem fraca. Em troca disso fico com uma estranha sensação pairando sobre esse andar escuro e nas profundas e escuras salas cavernosas.

Daqui em diante, é que as coisas começam. Primeiro, vamos encontrar o Roxy.

“…”

Pensando nisso, sinto que posso sentir o aroma nostálgico de Roxy vagando por aí.

Não… Só pode ser minha imaginação.

Sniff sniff

Este é o cheiro de Roxy, é a presença de Roxy… Não há como eu me enganar. Eu posso sentir algo se remexendo em meu peito.

Aqui.

Estou confiante que a Roxy esteja nesse andar.

0 0 votos
Qualificação do Capítulo
Tenha em Mente
Notifiquem-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments