Tondemo Skill de Isekai Hourou Meshi (RL)

Volume 2

Extra 6: Testemunho de um certo aventureiro

 

 

Meu nome é Lars. Sou um aventureiro que atua principalmente na cidade de Karelina em meu país natal, o reino de Leonhardt.

O grupo de aventureiros que eu lidero, “Phoenix”, aceitou uma missão de escolta da familiar empresa comercial Lambert e partiu para cumpri-la.

Fomos para a cidade de Uhland e voltamos, e estávamos prestes a chegar a Karelina quando ocorreu um certo incidente. Eram ladrões, embora a estrada que tomamos fosse relativamente segura.

Fomos atacados por cerca de dez ladrões. Para proteger nossa carga, Lambert e seu grupo, nós cinco lutamos desesperadamente. No entanto, além de serem quase dez deles, eles estavam acostumados a esse tipo de violência.

Estávamos passando por um momento bastante difícil. Além disso, o homem que parecia ser o chefe desses ladrões era bastante habilidoso.

Honestamente, eu estava preparado para a morte.

Quando finalmente comecei a pensar: “Acabou”, nosso deus da salvação apareceu diante de nós.

* AUOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO———*

Ouvi um uivo que me fez estremecer por um segundo.

Então, apareceu. Um lobo prateado brilhante e incrivelmente enorme.

Aquele lobo ameaçou os ladrões, e só isso fez com que eles se tornassem incapazes de se mover.

Logo em seguida, apareceu um homem de cabelos e olhos pretos, e do nosso ponto de vista, uma compleição parecida com uma vara.

Aquele homem comandava o lobo prateado e um slime que estava em sua bolsa, que pareciam ser seus familiares.

O lodo saltou da bolsa do homem e ajudou o lobo prateado a derrotar os ladrões um após o outro.

Parecia que o slime atacou disparando seu fluido derretido característico do lodo. Afinal, o fluido que disparou atravessou completamente os braços dos ladrões.

Você pode se perguntar do que diabos estou falando, mas só estou falando a verdade.

Honestamente, até eu teria pensado que era impossível se eu não tivesse visto.

Então, o lobo prateado começou a falar. Ele disse: “Vocês ladrões, se vocês derem um passo, eu os comerei inteiros. Se você entende, jogue fora suas armas.”

Todos os ladrões jogaram fora suas armas, intimidados.

Exceto por um.

Aquele que é o líder dos ladrões.

O maior em corpo e habilidade entre os ladrões deve ter pensado que não havia como ele perder.

Resistindo até o fim, o líder dos ladrões ergueu o machado. E naquele instante, sua cabeça foi cortada em pedaços.

Eu não estou mentindo. Era do ataque do lobo prateado. Ele cortou o ladrão em pedaços com um movimento de sua pata dianteira.

Não só isso, mas logo depois o slime o cobriu em seu fluido derretido. Não havia mais nada do líder que se assemelhasse a um humano. Foi um final miserável.

Bem, ele teve o que merecia.

De qualquer forma, fomos salvos graças a um salvador inesperado. Felizmente, conseguimos não perder um único membro do nosso grupo.

Nós, que estávamos salvos no momento, não perdemos tempo em conter os ladrões restantes. Seria ruim se falhássemos em amarrá-los enquanto eles perdem toda a vontade de lutar, e eles começarem a se revoltar mais tarde, afinal.

Depois de tudo isso, quando nosso patrão Lambert foi falar com o homem de cabelos e olhos petros, ouvimos que ele estava passando e decidiu nos ajudar.

Aquele homem se chamava Mukohda. Ele tinha um rosto estranho desconhecido para este território, e um lobo falante.

Foi quando me atingiu.

Entre todos os rumores que você ouve voando recentemente, havia um sobre um aventureiro que conseguiu fazer de um Fenrir seu familiar. Entre esses rumores, alguns diziam que o aventureiro tinha cabelos e olhos petros, se bem me lembro.

Quando eu disse: “Esse familiar é um Fenrir, hein…? Então os rumores eram verdadeiros.” Mukohda não disse nada em resposta. Ele ficou em silêncio com um rosto preocupado, mas aquela expressão estava basicamente confirmando isso.

Quando Mukohda perguntou para onde estávamos indo e respondemos que estávamos voltando para a cidade de Karelina, ele disse que gostaria de ir conosco para a cidade.

A oferta também foi uma dádiva de Deus para nós, então é claro que concordamos.

E foi assim que conseguimos chegar em casa a Karelina em segurança.

O familiar de Mukohda, ele é definitivamente um Fenrir.

Eu pensei que era apenas um conto quando ouvi que alguém fez de um Fenrir seu familiar. No entanto, eu realmente tinha visto falar. E o único lobo que fala que consigo pensar seria o lendário Fenrir.

Sem mencionar aquele acontecimento; não havia humano vivo que pudesse sequer pensar em se opor a isso. Os membros do meu partido duvidaram disso até o final, no entanto.

Mas eu tenho certeza. Que aquela coisa é inconfundivelmente um Fenrir.

0 0 votes
Qualificação do Capítulo
Subscribe
Notify of
guest
This site uses User Verification plugin to reduce spam. See how your comment data is processed.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments